OS VERBOS “VIR” E “VER”

 

Quero escrever um pouco sobre esses dois verbos que, frequentemente, trazem um pouco de confusão para os falantes do português – pelo menos no Brasil. (Não sei se nossos amigos lusitanos também os confundem…)

Bem, sabemos que existem três Modos Verbais para indicar a ideia da pessoa que fala em relação ao que ela enuncia: o Modo Indicativo (para indicar certeza), o Modo Imperativo (para indicar uma ordem, um pedido, um conselho, um desejo, um convite etc.) e o Modo Subjuntivo (para indicar uma hipótese, uma dúvida, uma possibilidade ou impossibilidade etc.).

Dessa forma, vamos dar uma olhada nos verbos “vir” e “ver” no chamado Futuro do Subjuntivo. Ih, mas que tempo é esse mesmo, professor? Fácil: é aquele que começa com “quando”. Lembrou? Quando eu, quando tu, quando ele…

Falemos primeiro do verbo “Vir” – sair de lá e chegar aqui. Conjugado no Futuro do Subjuntivo, ele apresentará as seguintes formas: quando eu vier, quando tu vieres etc. Por exemplo: “Quando eu vier novamente à sua casa, devolverei os livros que você em emprestou” ou “Quando nós viermos a este museu outra vez, trarei meus pais” e por aí vai.

A coisa parece ficar um pouco mais complicada quando se trata do verbo “ver”, isto é, “enxergar”, “pôr os olhos em”, ou “compreender alguma coisa”, metaforicamente falando. Temos uma tendência muito grande a conjugar esse verbo de forma errada já na primeira pessoa do singular, “eu”, e o problema é que, por causa disso, conjugamos todas as outras pessoas de forma equivocada também. Vamos lá!

No Futuro do Subjuntivo, a forma do verbo “ver” na primeira pessoa do singular é “vir”! Sigam comigo: “Quando eu vir o seu pai, darei o seu recado”, “Quando eu vir o filme, darei minha opinião” etc. A partir daí, seguem-se as outras formas: “quando tu vires, quando ele vir, quando nós virmos, quando vós virdes, quando eles virem”. Estranho? Pode parecer, sobretudo porque as pessoas estão acostumadas à forma “quando eu ver”. E há um outro ponto que confunde o falante: “quando eu vir” remete à mesma forma do verbo “vir” no infinitivo. Confusão formada! São formas homônimas.

Agora, observe: se eu disser “quando eu ver”, vou seguir o padrão é dizer/escrever “quando “nós vermos” ou “quando vós verdes”… verbo ecológico?

Conheço poucas pessoas que fazem essa diferença e conjugam o verbo “ver” como manda a Gramática. O que acontece, como já tive oportunidade de escrever, é que muitas formas verbais são agradáveis aos nossos ouvidos – mas são condenadas pela norma padrão; muitas formas são feias quando as ouvimos – porém são abonadas pela Gramática.

Tomemos cuidado, portanto, na redação de documentos, postagens em redes sociais, cartas comerciais, e-mails, textos jornalísticos e que tais. Em documentos e em textos jornalísticos principalmente!

Só pra constar, aí vão as conjugações completas dos dois verbos no Futuro do Subjuntivo – Quando:

VIR                                         VER

eu vier                             eu vir

tu vieres                          tu vires

ele vier                             ele vir

nós viermos                     nós virmos

vós vierdes                      vós virdes

eles vierem                      eles virem

 

Espero ter sido claro!

EM CASA
A FORMAÇÃO DE UM ADULTO

Posts relacionados

No results found

8 Comentários. Deixe novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu