15 DE OUTUBRO

Estive relendo a bonita crônica do mestre Rubem Braga, “São Cosme e São Damião”, na qual o cronista pede que os santos gêmeos da Igreja Católica protejam os meninos e meninas “deste grande e pobre e abandonado meninão triste que é o nosso Brasil”. Claro que foi um pretexto para que o escritor capixaba enumerasse os problemas enfrentados por nossas crianças – e o pior é que a crônica não envelheceu nada de 1957 para cá.

Para minha surpresa, segundo a internet, também existe na Igreja Católica uma santa padroeira e protetora dos professores – é a espanhola Santa Tereza D´Ávila, cuja vida não foi nada fácil. Como estamos no mês de outubro, deixo aqui alguns pedidos para que a santa olhe por meus colegas a fim de que eles consigam, pelo menos, algum respeito no seu dia a dia. E começo assim:

Santa Tereza D´Ávila, proteja todos os professores e professoras do Brasil!

Proteja os professores que trabalham em escolas de bairros violentos dos rincões deste país; professores que trabalham com alunos vítimas da violência e que só conhecem a violência como meio de vida;

Proteja os professores que lidam com jovens delinquentes, jovens que não relutam em entrar em sala de aula armados, pois estão armados não contra o professor, mas contra o mundo;

Proteja os professores do sertão do Brasil – professores que trabalham com fome, com alunos que também não têm o que comer, e assistem às aulas com suas barriguinhas roncando, ainda assim tentando entender a tabuada;

Proteja, Santa Tereza D´Ávila, os professores do sertão que mal ganham um salário que lhes dê dignidade diante de seus alunos;

Proteja, por favor, aqueles professores que dão muitas, muitas aulas durante o dia inteiro, de segunda a sexta-feira, para poderem sustentar seus filhos e pagar suas contas; proteja muito os professores cuja jornada se estende da manhã à noite e, no fim de semana, ainda têm que corrigir as provas mal feitas de aluninhos que, também maltratados, não conseguiram aprender nada;

Proteja os professores que cuidam da educação dos filhos dos outros, enquanto não têm tempo para poderem cuidar dos seus próprios;

Proteja os professores cuja hora de lazer não existe, exatamente porque ela é preenchida com a preparação de aulas e a correção de toneladas de provas e trabalhos;

Proteja os professores desrespeitados com a demonstração de violência física dos vídeos que nos enchem de horror, espalhados pela internet e pelas redes sociais  – vídeos que demonstram o quanto a profissão passou a ser uma prova de valentia em muitos casos;

Proteja não somente os professores das escolas públicas, na quais faltam lousa, giz, mapas, microscópios, computadores (eles foram roubados) e tablets – proteja também os professores das escolas particulares, aqueles que muitas vezes têm de engolir desaforos de pais arrogantes e pedantes, pois “estão pagando” e não admitem serem contrariados;

Proteja esses mesmos professores porque trabalham numa grande escola e não têm o direito de repreender os pimpolhos que fazem bagunça por que sabem que não serão punidos; proteja os professores dos alunos pernósticos e desagradáveis, aqueles alunos incapazes de aceitarem uma nota baixa na prova;

Proteja os professores de toda a humilhação já característica da profissão – seja por conta do salário, ou da quantidade de aulas e até mesmo pelo cansaço estampado no rosto;

Proteja, Santa Tereza D´Ávila, os professores que, apesar de tudo isso, apesar de o Brasil os tratar assim, ainda amam sua profissão e sabem que, sem ela, não se faz uma nação;

Proteja os professores de todos os níveis – desde os heróis que alfabetizam até os heróis que orientam uma tese, passando pelos heróis que mostram o caminho até lá;

Proteja, por favor, aqueles professores que não são queridos porque sua matéria é “chata”, ou “difícil” ou “inútil” (aos olhos dos alunos);

Proteja, finalmente, Santa Tereza D´Ávila, o professor querido, aquele capaz de influenciar os alunos no bom sentido, para que continuem assim, admirados, e sejam um número cada vez maior em todas as escolas – públicas ou particulares;

Proteja os professores dos infartos, das úlceras, da tristeza e da depressão;

E faça, Santa Tereza D´Ávila, faça com que os homens do poder deste país se lembrem de que eles também, um dia, foram alunos e aprenderam com seus professores. Faça com que tenham um pouco de gratidão àqueles que lhes ensinaram a ler, a escrever e a calcular. Faça com que desviem cada vez menos verbas da Educação para seus projetos sórdidos de riqueza pessoal – e que sejam minimamente honestos com os alunos e os professores deste país!

Amém!

A VÍRGULA
A FORMAÇÃO DE ALGUMAS PALAVRAS EM PORTUGUÊS

Posts relacionados

No results found

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu